quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

VIAGENS


Uma das pessoas que me ensinou a meditar, pedia para eu me imaginar em um lugar que eu gostasse: no campo, na praia, no alto uma montanha, em uma floresta, em uma cachoeira, em um riacho, etc. Pedia ainda para eu imaginar os sons do local, como por exemplo o som do vento nas folhas das árvores, os animais, barulho da água e também para imaginar os odores do local. Eu imaginava locais que eu já conhecia, pois obviamente era muito mais fácil.

E a minha meditação seguia em frente, com toda aquela cena criada em minha mente.

Um bom tempo depois, resolvi testar a meditação, no próprio local, ao vivo e em cores. Como conheço lugares bem isolados, e que correspondem bastante ao que me pediam para imaginar, fiz esta experiência, e achei muito legal.

Todo o ambiente “conspira” para que você alcance uma paz de espírito indescritível: os raios de sol “cortados” pela folhagem das árvores, o som da água passando, o canto dos pássaros... Se você observar atentamente a natureza ao seu redor, talvez tire boas lições de vida.

Se estou no alto de uma montanha, onde nada limita a minha vista, sempre me vem à mente o pensamento de como este mundo é realmente grande, e como nós, muitas vezes, perdemos nosso tempo com coisas ou pessoas tão mesquinhas, restringindo nossa vida a um “mundo” tão pequeno.

Quando estou na praia, vendo as ondas desaparecendo na beira da areia, lembro-me das palavras de Henry Durville, que dizia: "elas nos ensinam sobre o esforço que se enfraquece, que desaparece, quando não está em harmonia com a vontade que guia todas as forças".

Nestes instantes, tenho a impressão de sair do tempo e mergulhar no infinito. Não vejo o tempo passar. E ali, muitas situações se esclarecem em minha mente, muitas soluções são encontradas, excelentes idéias surgem “do além”, metas são traçadas, energia e disposição para alcançá-las são adquiridas.

Se você está pensando em fazer uma revolução na sua vida, quem sabe fazer seu planejamento de Ano Novo, seria bom cogitar em ter uma "experiência" destas.

E tem gente que ainda fala para mim: “não entendo que graça você vê em viajar quase todos os finais de semana”. Eu respondo que não é pela “graça” e sim pela “viagem”.

Na verdade, sou eu quem não entende, como é que os outros não entendem.

Enfim, cada um na sua!

Depois desta “viagem” toda neste texto, esta foto foi tirada em um dos meus “retiros espirituais” preferidos. Por estar longe da estrada e pelo acesso ser difícil, praticamente ninguém aparece por lá. Só é possível chegar de barco, ou andando um bom tempo a pé pelo meio da mata. Se você quer passar horas em paz, este é o lugar!

Onde fica? Bom... Peço que me desculpe, mas agora estou com pressa. Talvez um outro dia eu conte...

Clique na foto para ampliá-la. 

( Texto e foto : Wilson Luiz Negrini de Carvalho )

Para você que gosta de fotografia e quer aprender truques essenciais para tirar uma boa foto, recomendo o livro abaixo:

2 comentários:

  1. Inacreditável a beleza de seus momentos. Parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Obrigado pelo comentário Soninha. Graças a Deus tenho uma vida realmente incrível!

    ResponderExcluir